Imprimir

Medium

Fundo
Fernando Pessoa
Cota
BNP/E3, 14-4 – 82
Imagem
[Sobre literatura inglesa]
PDF
Autor
Fernando Pessoa

Identificação

Titulo
[Sobre literatura inglesa]
Titulos atríbuidos
Edição / Descrição geral

[BNP/E3, 144 – 82]

 

Browning, Byron, {…} will disappear although, even, perhaps, to the very names.

Of the 19th century novel, it is probable that only Flaubert, in whose all its tenders are summed and mingled, will go into succeeding ages.

 

The ideas of the French Revolution, the name we can deny are things like monasticism and Gnosticism – fancies of the madman in us, with no prove of evidence or settlement.

 

In fine, Shelley and Byron would not have written though would have talked; that was their natural function. The function of art is not to ease our feelings: art is not an outlet or a sink.

 

Will so little of our age endure? No. It will all endure, but not in these two |typical types|. Goethe said that an artist only belongs to his age by his faults. It was right.

Unless we are an age of final decadence, in which course nothing of us can or aught to remain (this point we cannot judge), we shall survive in one manner. A great poet will appear with an appeal to eternity – a builder, a master of the intellect. In his work the “genius” of the age will be reflected. All the literary talkers, from Wordsworth to {…}, shall have only been arrived to his individuality.

 

 

[BNP/E3, 144 – 82]

 

Browning, Byron, {…} irão desaparecer, contudo, até mesmo, talvez, os próprios nomes.

Do romance do século XIX, é provável que apenas Flaubert, em quem as suas ternuras se encontram somadas e mescladas, passe para as épocas seguintes. 

 

As ideias da Revolução Francesa, o nome que podemos negar são coisas como monasticismo e gnosticismo - fantasias do louco que há em nós, sem nenhuma prova de evidência ou acordo. 

 

Em suma, Shelley e Byron não teriam escrito, embora tivessem falado; essa era a sua função natural. A função da arte não é aliviar os nossos sentimentos: a arte não é uma válvula de escape ou uma pia. 

 

Será que tão pouco da nossa época perdurará? Não. Tudo perdurará, mas não nesses dois |tipos típicos|. Goethe disse que um artista só pertence à sua época pelos seus defeitos. Isto estava certo.

A menos que estejamos na era da decadência final, na qual nada de nós pode ou deve permanecer (este ponto não podemos julgar), sobreviveremos de uma maneira. Um grande poeta aparecerá com um apelo à eternidade - um construtor, um mestre do intelecto. Na sua obra reflectir-se-á o “génio” da época. Todos os locutores literários, de Wordsworth a {…}, devem apenas ter chegado à sua individualidade.

 

Notas de edição

Classificação

Categoria
Literatura
Subcategoria

Dados Físicos

Descrição Material
Dimensões
Legendas

Dados de produção

Data
Notas à data
Datas relacionadas
Dedicatário
Destinatário
Idioma
Inglês

Dados de conservação

Local de conservação
Biblioteca Nacional de Portugal
Estado de conservação
Proprietário
Historial

Palavras chave

Locais
Palavras chave
Nomes relacionados

Documentação Associada

Bibliografia
Publicações
Exposições
Itens relacionados
Bloco de notas