Média

Imagem
Victor Hugo.
PDF
Autor
Fernando Pessoa

Identificação

Titulo
Victor Hugo.
Titulos atríbuidos
Notas de edição
Idioma
Português
Edição

[19 – 102]

 

Victor Hugo.

 

Victor Hugo tem o grande defeito dos temperamentos retóricos: as ideias são nele momentâneas, são inspirações realmente e não propriamente ideias, tanto que, a maior parte das vezes, se apresentam aos sentidos do poeta, interiormente, e não ao pensamento. Por momentaneidade das ideias quero dizer que Victor Hugo, quando tem uma ideia brilhante e lúcida, não sabe tirar dela as conclusões lógicas, não sabe fazê-la o ponto de partida de uma associação de ideias[1], de um raciocínio qualquer. Como essa ideia se lhe apresenta sob a forma de uma imagem associa a outras imagens não casualmente a ideias, associa-a pelo que ela tem de imagem não pelo que ela tem de ideia. É o mal de todos os inspirados, de todos os “videntes”. São “parciais” mentalmente; não pensam, têm ideias. Assim Victor Hugo contradiz-se, justapõe ideias às vezes nitidamente insusceptíveis de justaposição lógica, outras vezes pontos de partida para raciocínios que inevitavelmente levam a conclusões antitéticas. Análise, não tem nenhuma; não analisa, compreende. Quem analisa {…} Quem compreende não se compreende a si. Quem compreende pura e simplesmente, compreende aos bocados. Victor Hugo pode ter a intuição de um todo, ou de uma parte; nunca a das partes[2] de um todo, nem da relação de um todo com as suas partes. O modo mental de Victor Hugo de acordo que é o vulgar, levado a um alto ponto; é por ser o vulgar que não pode ser o supremo.

Tem-se observado que Victor Hugo é um primitivo no psiquismo; que não pensa senão por imagens. Não é só isso. Pensa epigra-

 

[102v]

 

maticamente. O seu pensamento é do género cujo mais vulgar representante é o epigrama trivial. O seu pensar é uma coisa positiva formada de três coisas negativas: pensa por imagens (o contrário {…}), por epigramas (o contrário {…}) e {…} O seu pensamento mais abstracto é concreto; {…} O pensamento chamado epigramático, distingue-se por associar ideias de dois modos apenas: por semelhança e contraste. Ora isto indica um modo de pensar especial: por imagens.

Victor Hugo pensa por imagens. Ora aquele em cujo espírito tudo se apresenta como imagem, só de dois modos pode associar ideias: pela sua semelhança ou dessemelhança Com efeito uma imagem qualquer só, dentro da sua ordem mental, duas coisas pode evocar: imagens parecidas ou desparecidas.

 

 

[1] ideias /(lógica)\

[2] partes /(plural)\

Classificação

Categoria
Literatura
Subcategoria

Dados Físicos

Legendas

Documentação Associada

Bibliografia
Publicações
Publicação parcial: Fernando Pessoa, Páginas de Estética e de Teoria e Crítica Literárias, Textos estabelecidos e prefaciados por Georg Rudolf Lind e Jacinto do Prado Coelho, Lisboa, Edições Ática, 1966, pp. 338-340.
Publicação integral: Pauly Ellen Bothe, Apreciações literárias de Fernando Pessoa, Lisboa, Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 2013, pp. 136-137.

Dados de produção

Cota
BNP-E3, 19 - 102
Datas relacionadas
Dedicatário
Destinatário
Data

Palavras chave

Locais
Nomes relacionados