Imprimir

Medium

Fundo
Fernando Pessoa
Cota
BNP-E3, 19 - 21
Imagem
[Sobre o romantismo]
PDF
Autor
Álvaro de Campos

Identificação

Titulo
[Sobre o romantismo]
Titulos atríbuidos
Edição / Descrição geral

[19 – 21]

 

(Álvaro de Campos – a nossa época está farta de inteligência. A inteligência é infecunda, e, prova-o a ciência, secundária.) As filosofias irracionalistas.

O que a nossa época sente é um desejo de inteligência. O que a desgosta no romantismo é a escassez dos elementos intelectuais, quer directamente pela escassez, quer pela subordinação deles aos elementos emotivos. O único elemento intelectual notável no romantismo é o da especulação, da reflexão, aparecido naturalmente pela ruína progressiva das influências religiosas. Nisto o romantismo é forte, porque está na grande tradição civilizacional europeia, que é a tradição helénica, do individualismo racionalista.

Por outra parte o romantismo é o aboutissement de outra tradição, a cristã; é isso pelo seu emotivismo e subjectivismo.

De novo, o que o romantismo trouxe foi o sentimento, propriamente tal, da Natureza. (A renovação da metáfora e da imagem).

O “classicismo” decadente, a que o ro-

 

[21r]

 

mantismo se seguiu e se opôs, não tinha pensamento, não tinha emoção, não tinha |alma|. Custa-nos hoje a crer num Delille, nos Arcades. Como, salvo alguns versos, pesam hoje sobre nós tedientamente The Traveller, The Deserted Village, Retaliation!

O fim do classicismo teve talento só na sátira, na poesia social, no género de que os vers de société são uma espécie.

 

_______

 

Quanto maior a subjectividade da Arte, maior tem que ser a sua objectividade, para que haja equilíbrio, sem o qual não há vida, nem, portanto, vida ou duração da mesma arte. Os factores de objectividade – a Ciência, {…} Como o romantismo tinha mais emoção, tinha que ter mais pensamento; como tinha mais subjectividade, tinha que ter mais objectividade.

 

Notas de edição

Classificação

Categoria
Literatura
Subcategoria

Dados Físicos

Descrição Material
Dimensões
Legendas

Dados de produção

Data
Notas à data
Datas relacionadas
Dedicatário
Destinatário
Idioma
Português

Dados de conservação

Local de conservação
Biblioteca Nacional de Portugal
Estado de conservação
Proprietário
Historial

Palavras chave

Locais
Palavras chave
Nomes relacionados

Documentação Associada

Bibliografia
Publicações
Fernando Pessoa, Páginas de Estética e de Teoria e Crítica Literárias, Textos estabelecidos e prefaciados por Georg Rudolf Lind e Jacinto do Prado Coelho, Lisboa, Edições Ática, 1966, pp. 145-146.
Exposições
Itens relacionados
Bloco de notas