Imprimir

Medium

Fundo
Fernando Pessoa
Cota
BNP-E3, 88 - 4-4a
Imagem
A arte da quarta dimensão
PDF
Autor
Fernando Pessoa

Identificação

Titulo
A arte da quarta dimensão
Titulos atríbuidos
Notas de edição
Idioma
Português
Edição / Descrição geral

[BNP/E3, 88 – 4–4a]

 

A arte da quarta dimensão

 

  1. Todos os fenómenos se passam no espaço.

_______

As “dimensões” dos objectos não estão neles, mas sim em nós. São condições de sensibilidade, categorias de credibilidade.[1]           

 

  1. A única realidade é a sensação.
  2. A máxima realidade será dada sentindo tudo de todas as maneiras (em todos os tempos).
  3. Para isso era preciso ser tudo e todos.

 

[4ar]

 

Don’t think, don’t look at your thoughts

______________________________________________

Every[2] hour is motherly to our dreams, but we must never know why.

It is necessary never to know why {…}[3]

______________________________________________

______________________________________________________________________

 

O sensacionismo é a arte das quatro dimensões. As coisas têm aparentemente – mesmo, na sua aparência visualizada, as coisas de sonho – 3 dimensões; essas dimensões são conhecidas quando se trata de matéria espacial. Só podemos conceber coisas com três ou menos dimensões.

Mas se as coisas existem como existem apenas porque nós assim as sentimos, segue que a “sensabilidade”[4] (o poder de serem sentidas) é uma quarta dimensão delas.

 

As três dimensões das coisas não são altura, largura e espessura. Ora é apenas a forma como as três dimensões nos aparecem nas coisas espaciadas à vista. As três dimensões são assim: Supondo um observador colocado em A,

 

[VER IMAGEM NO PDF]

 

temos que ele verá tudo em volta de três percepções:

AB = a linha do objecto até ele.

CD = a linha de lado a lado do objecto.

EF = a linha de alto a baixo do objecto.      

 

 

[1]

1920

 168 15

1752

  84

1836

 

1752

  84

1668

[2] 34 Every, no original.

[3] Não penses, não olhes para os teus pensamentos

______________________________________________

Cada hora é maternal para os nossos sonhos, mas nunca devemos saber porquê.

É necessário nunca saber porquê {…}

[4] O termo “sensabilidade” trata-se, aparentemente, de um neologismo e não de uma gralha.

Classificação

Categoria
Literatura
Subcategoria
Sensacionismo

Dados Físicos

Legendas

Documentação Associada

Bibliografia
Publicações
Paula Cristina Costa, As Dimensões Artísticas e Literárias do Projecto Sensacionista, Tese de Mestrado em Literaturas Comparadas Portuguesa e Francesa, Lisboa, FCSH – Universidade Nova de Lisboa, 1990, pp. 314-315.

Dados de produção

Datas relacionadas
Dedicatário
Destinatário
Data

Palavras chave

Locais
Nomes relacionados