logotipo Modernismo

  Arquivo Virtual da Geração de Orpheu

 

 

Íbis

Ave pela qual Fernando Pessoa demonstra uma especial preferência e que gostava de imitar para divertimento da família. É como Íbis que assina alguns poemas relacionados com circunstâncias familiares, como o poema ao seu aniversário em Junho de 1911 ou ao aniversário da irmã Teca (Henriqueta Madalena), acrescentando, por vezes, um pequeno desenho da ave com uma perna encolhida. Existe ainda o poema cujo primeiro verso é O Íbis, ave do Egipto. Este alter-ego continua a surgir ao longo da sua vida, nas brincadeiras com os sobrinhos e na relação com Ofélia Queiroz, a Íbis do Íbis. Fernando Pessoa escolhe o nome Íbis para a empresa que criou em 1909, de seu nome completo “Empreza Íbis, Typographica e Editora”. Com o dinheiro herdado da avó Dionísia Seabra Pessoa, Fernando Pessoa adquire, em Portalegre, as máquinas com que instalará esta firma na Rua da Conceição da Glória. Imprime papel timbrado e produz uma série de planos de publicação da sua obra e da de outros autores, em verso e em prosa, em livros ou em fascículos. Uma Antologia Lusitana de poetas portugueses e brasileiros incluiria a publicação da obra completa ou da poesia escolhida de 30 poetas diferentes. A personalidade literária Vicente Guedes seria autor de contos portugueses e tradutor de Robert Louis Stevenson, Ésquilo, Byron e Shelley. Outra personalidade literária, Carlos Otto, traduziria o autor de policiais Arthur Morrison. Miguel Otto (seu irmão?) seria o autor de um “Tratado de Luta, sistema Yvetot.” Havia ainda “O Phosphoro” e “O Iconoclasta”, revistas a publicar quinzenalmente. Encontram-se ainda nesses planos duas obras de Charles Robert Anon e vários conjuntos de poemas de Alexander Search. Com autoria de F. Nogueira Pessôa, aparece o romance Reacção. Estes ambiciosos projectos de publicação não tiveram seguimento, pois a Empreza Íbis extingue-se em 1910, devido, calcula-se, à pouca vocação de Pessoa para os negócios e à sua inexperiência. Muitos dos projectos serão retomados no projecto editorial da Olisipo.

 

 

Teresa Rita Lopes, Pessoa por Conhecer, Roteiro para uma Expedição, I,

Editorial Estampa, Lisboa, 1990.

António Mega Ferreira, Fazer pela Vida,  Um Retrato de Fernando Pessoa, o

Empreendedor, Assírio & Alvim, Lisboa, 2005.

Robert Bréchon, Estranho Estrangeiro, Quetzal Editores, Lisboa, 1996.

 

 

 

Ana Maria Freitas